Aplicativos para igreja proporcionam uma comunicação mais próxima e eficaz com os membros. Além disso, permitem alcançar, em poucos toques, pessoas que estão distantes – não apenas das portas do templo, mas também do evangelho.

Justamente por serem ferramentas tão poderosas, é importante que os apps para igrejas sejam desenvolvidos de forma precisa e estratégica. Mas por onde começar?

Se você está pensando em adotar essa solução em sua congregação, este post é para você. Confira, nas próximas linhas, cinco coisas que você deve considerar antes de contratar um aplicativo para igrejas.

1. Conheça o seu público-alvo

Criar um aplicativo apenas por tê-lo não é suficiente. É preciso avaliar quais serão os reais benefícios que os usuários terão com essa ferramenta. Por isso, antes de partir para os aspectos técnicos, invista tempo mapeando as necessidades do seu público-alvo, para que o app seja capaz de supri-las por completo.

Por exemplo: se a sua igreja realiza um grande número de eventos por mês, é importante que o aplicativo tenha uma seção dedicada à agenda mensal, com informações detalhadas sobre data, horário e descrições das atividades.

Além disso, seria igualmente válido investir em uma área para a inscrição nos eventos. Desta forma, você pode recolher os dados dos membros em um ambiente seguro e fornecer a eles a possibilidade de efetuar o pagamento dos ingressos (no caso de eventos pagos) de um jeito prático e rápido.

2. Pense na experiência do usuário

Se você quer investir em um aplicativo para igreja, certamente é porque precisa simplificar a comunicação com os membros e estreitar o relacionamento com eles. Por isso, é fundamental que você pense na experiência do usuário (user experience ou UX, em inglês). Trata-se de um conceito que abrange todas as interações do usuário com uma marca – neste caso, a sua igreja – e pode ser resumido em quatro pilares:

  • usabilidade: o aplicativo deve ser simples de navegar;
  • utilidade: o conteúdo precisa ser útil, além de estar à disposição do usuário;
  • acessibilidade: o acesso ao material deve ser facilitado;
  • funcionalidade: o aplicativo precisa cumprir o objetivo para o qual ele foi pensado.

Lembre-se de que, quando alguém baixa o aplicativo da sua igreja e fica satisfeito com a experiência, as chances de a pessoa retornar ao app, interagir e indicá-lo para os amigos aumentam significativamente.

3. Priorize aplicativos nativos

Aplicativos nativos são aqueles criados a partir de uma linguagem de programação específica para determinada plataforma, como Android ou iOS. Por “falar a mesma língua” que o sistema operacional do aparelho, esse tipo de app pode explorar com mais profundidade funções como câmeras, contatos, geolocalização etc.

Quando comparados aos aplicativos híbridos, que têm várias linguagens de programação em sua composição, os aplicativos nativos costumam entregar desempenho superior e apresentar menos instabilidades, proporcionando uma experiência mais rica ao usuário.

4. Preste atenção ao tamanho do app

Muitas pessoas têm resistência para baixar aplicativos pesados. Isso porque eles ocupam mais espaço no armazenamento interno do celular e contribuem para deixar o sistema operacional do aparelho mais lento. Além disso, apps com tamanho grande tendem a exigir mais da memória RAM e do processador do dispositivo, o que pode levar a falhas e travamentos – especialmente se o usuário for dono de um smartphone mais simples.

Por isso, ao desenvolver um aplicativo para a sua igreja, garanta que ele seja leve (o tamanho médio dos apps para o sistema Android é 11,5 MB; para o sistema iOS, 35,3 MB) e entregue alta performance. Você não vai querer afastar potenciais usuários por causa de um aspecto tão simples quanto o tamanho, não é?

5. Escolha a empresa certa

Agora que você já conhece as necessidades do seu público-alvo, considerou todos os pilares da experiência do usuário, sabe a importância de desenvolver um aplicativo leve e entendeu as vantagens dos apps nativos, é hora de escolher a empresa que te ajudará a tirar as ideias do papel e transformará o seu projeto em realidade.

Criar um aplicativo do zero sem o suporte de uma empresa especializada é uma tarefa altamente trabalhosa e custosa. Aplicativos de pequeno porte, por exemplo, têm custo aproximado entre R$ 25 mil e R$ 80 mil. Já os mais complexos podem custar de R$ 150 mil a R$ 300 mil. Some aos custos financeiros a perda de tempo com possíveis retrabalhos e todo o stress gerado por deles. Já deu para perceber como contar com uma empresa cuja equipe está preparada para otimizar o aplicativo 24 horas pode fazer a diferença, não é?

A inChurch é líder em aplicativos e tecnologias para igrejas. Desde 2017 temos ajudado congregações de todo o Brasil a alcançarem milhares de pessoas de forma simples, eficaz e inovadora. Prova disso é a boa receptividade dos aplicativos que desenvolvemos entre os usuários finais: o app da Igreja da Cidade foi avaliado com 4,9 estrelas na Google Play Store; o da Igreja Batista Atitude, com 4,8 estrelas na Google Play Store; e o da Igreja Nova Vida, com 4,7 estrelas (dados extraídos em outubro de 2020).

Ao todo, são mais de cinco mil igrejas que têm visto como as tecnologias digitais podem potencializar o alcance da mensagem do evangelho. Quer saber como nossas soluções podem ajudar a sua congregação a ir mais longe? Fale com um de nossos especialistas.