Um podcast pode ajudar sua igreja a alcançar mais pessoas na internet de forma prática e sem altos investimentos. O formato está cada vez mais popular no Brasil: segundo dados da plataforma de streaming Spotify, o consumo de podcasts aumentou 200% só em 2020. O Ibope, por sua vez, estima que cerca de 40% dos internautas brasileiros, percentual que representa 50 milhões de pessoas, já ouviram podcasts. 

O outro lado dessa moeda é que 32% dos internautas, ou seja, 38,4 milhões de pessoas, não sabem o que é um podcast. O número mostra que há muitas possibilidades de crescimento na podsfera, desde que o formato seja explorado de forma estratégica e o conteúdo exposto seja rico em qualidade. 

Pensando nisso, elaboramos um guia para te ensinar a fazer podcasts para sua igreja e levar a Palavra de Deus a quem precisa ouvir a mensagem do Evangelho. Aprenda, nas próximas linhas, a definir conteúdo, criar roteiro, gravar, editar, publicar e divulgar podcasts cristãos.  

O que é podcast?

Podcasts são programas de áudio que podem ser baixados da internet ou reproduzidos em serviços de streaming, como Spotify e Deezer. Diferente da rádio, que é transmitida ao vivo, os podcasts costumam ser organizados em uma série de episódios e seguem o formato on demand (sob demanda), ou seja, o ouvinte escolhe quando e como quer ouvi-los. Não há formato ou duração padrão: os episódios podem variar de monólogos de vinte minutos a talk shows de uma hora e meia, e abordar diversos temas – incluindo religião e espiritualidade.

Como fazer podcast para igreja?

1. Conteúdo

Em primeiro lugar, antes de dar início à produção, é preciso que a igreja tenha três pilares em mente: o que quer comunicar (mensagem), para quem quer comunicar (público-alvo) e a forma como deseja falar (estilo e tom de voz). 

Dito isso, o próximo passo é definir qual será o conteúdo do programa. Muitas igrejas apenas disponibilizam os sermões do culto em formato de áudio, mas também é possível seguir outros caminhos: devocionais, estudos bíblicos e mesa redonda com convidados para discutir questões sobre cosmovisão cristã e cotidiano, por exemplo. 

Por mais que você possa abordar diferentes questões ao longo dos episódios, recomendamos que foque em um tema por vez. Para isso, divida o programa em temporadas e, em cada uma delas, escolha um assunto “guarda-chuva” que será destrinchado episódio por episódio. 

Por exemplo: se o podcast da sua igreja seguirá o formato de estudo bíblico, e você definiu “dons espirituais” como tema da primeira temporada, é possível lançar nove episódios, cada um deles dedicado à explicação dos dons citados em I Coríntios 12:8-10 (sabedoria; palavra de ciência; fé; cura de doenças; milagres; profecia; discernimento dos espíritos; variedade de línguas e interpretação de línguas). 

Podcast para igreja: conheça o perfil dos podcasters

2. Roteiro

Definido o conteúdo e os convidados (se houver) de cada episódio, é a hora de montar o roteiro. Mesmo que o estilo do programa seja mais descontraído e informal, essa etapa é indispensável. Isso porque, se você simplesmente ligar o microfone e começar a falar o que sabe sobre o assunto, provavelmente irá se perder no próprio raciocínio e deixar de citar informações importantes, confundindo o ouvinte. O roteiro, por outro lado, vai te guiar na hora da gravação.

Sugerimos que você divida o roteiro em três partes: introdução, desenvolvimento e conclusão.

Introdução

Este é o momento de apresentação do podcast. Anuncie o nome do programa (“está começando mais um Podcast X, da Igreja Y”), dê as boas-vindas aos ouvintes, apresente-se e, caso haja convidados, deixe que eles se apresentem também. 

Os minutos iniciais também são o momento de introduzir o tema do episódio, seja com uma breve menção (“no episódio de hoje, vamos falar sobre…”), seja com informações contextualizadas (estatísticas, ganchos noticiosos etc). 

Antes de dizer as primeiras palavras, porém, é interessante tocar uma vinheta de abertura. Ela vai dar a cara da sua igreja ao podcast e marcar a identidade do programa na mente dos ouvintes logo nos segundos iniciais. Caso não possa criar uma vinheta personalizada, toque uma música instrumental. Lembre-se de adequar o ritmo ao tom do podcast.

Desenvolvimento

Como o próprio nome já indica, é nesta etapa que você desenvolverá o conteúdo do episódio. Para expor e relacionar ideias com clareza, é preciso conhecer bem o tema que será abordado. Por isso, pesquise – em fontes seguras – o máximo de informações possíveis sobre o assunto. Você pode selecionar dados estatísticos e separar citações de pessoas que são referência no tema, por exemplo. 

Agora que já sabe o que vai falar, estruture as informações em uma sequência de tópicos. Não é recomendado fazer um texto grande; o ideal é priorizar palavras, expressões e informações-chave que te ajudem a lembrar dos argumentos principais e sustentar a discussão, que deve ser o mais espontânea possível. Um roteiro extenso mais confunde do que ajuda. 

Se o episódio contar com a participação de um convidado, lembre-se de fazer um roteiro mais flexível. Liste apenas as perguntas que serão feitas e adicione possíveis observações. Embora você deva direcionar o rumo da conversa, também é preciso deixar espaço para o convidado adicionar novas ideias e argumentos à discussão. 

CONCLUSÃO

Já passamos pelo início, meio e agora chegamos ao fim. Ao término do episódio, agradeça aos ouvintes pela audiência e lembre a eles em quais dias da semana são lançados novos episódios. Você também pode recomendar filmes, livros ou músicas que tenham a ver com o tema que foi discutido. Lembre-se, por fim, de tocar a vinheta de encerramento

3. Gravação e edição

Na hora de gravar o podcast, escolha um local silencioso e com boa acústica. Além de conferir ao áudio melhor qualidade, isso poupará esforços de edição para minimizar ruídos. Lembre-se também de escolher um bom microfone, cujo tipo de captação (unidirecional, bidirecional e omnidirecional) seja adequada ao formato do podcast. 

Para captar e editar o áudio, você pode usar programas como Audacity e Adobe Audition. Com interface simples, o Audacity é leve e se mostra uma boa opção para iniciantes. O Adobe Audition, por outro lado, é um editor robusto, repleto de funções e com interface mais complexa, o que faz dele um programa pesado e aconselhado para profissionais. 

4. Distribuição: onde publicar o podcast da sua igreja?

Podcast para igreja: veja características dos podcasts de sucesso

Agregadores de podcasts 

Após definir o conteúdo, criar o roteiro, gravar e editar o podcast da sua igreja, chegou a hora de publicá-lo em uma plataforma agregadora de podcasts, como Spotify, Deezer, Apple Podcasts e Google Podcasts. Para isso, é preciso criar um feed RSS (formato que distribui conteúdos em tempo real) que descreva o programa. O agregador lerá esse feed, que pode ser criado em sites como Anchor e SoundCloud, e o usará para preencher o índice de podcasts e episódios.

Aplicativo da igreja

Outra alternativa é publicar os episódios de podcast no aplicativo da igreja. Com a funcionalidade de Palavras da plataforma inChurch, por exemplo, é possível inserir não apenas mensagens em texto e vídeo, mas também links de áudios hospedados no SoundCloud. Desta forma, a igreja consegue cadastrar novos episódios manualmente, inserindo título, descrição e capa para cada um. É possível ainda enviar uma notificação de push para alertar os usuários assim que o novo conteúdo estiver disponível. 

5. Divulgação

O podcast é um formato próprio das mídias digitais. Sabendo disso, aproveite as redes sociais para divulgar os episódios do programa da sua igreja. Lembre-se de cumprir a frequência que você estabeleceu para o lançamento dos episódios (nossa sugestão é seguir a frequência semanal); do contrário, as pessoas não verão motivo para se inscrever no podcast. 


Gostou das dicas para criar um podcast para sua igreja? Leia também: