Produzir conteúdo para a igreja é uma forma de evangelizar online e educar a membresia a partir do compartilhamento de materiais de valor. Com a popularização dos canais de comunicação digitais, muitos pastores, líderes e voluntários da equipe de mídia já perceberam a importância dessa atividade, mas não sabem por onde começar.

Outros, por sua vez, já começaram a produzir conteúdo, mas ainda estão um pouco perdidos e frequentemente se deparam com a pergunta “o que postar nas redes sociais da minha igreja?”. Foi pensando nisso que preparamos este guia rápido. Nas próximas linhas, você vai aprender os passos fundamentais à produção de conteúdo para igreja. 

Organize-se 

1. Estabeleça editorias de conteúdo

Você já parou para prestar atenção na forma como os assuntos são organizados em veículos jornalísticos? Se você abrir um jornal diário, por exemplo, e começar a folheá-lo, notará que existe uma série de editorias, ou seja, seções dedicadas à cobertura de um assunto específico – economia, política, entretenimento, tecnologia, cotidiano etc.

Estabeleça editorias de conteúdo para igreja

A divisão com base nessas categorias facilita a identificação de temas por parte dos leitores, a produção de conteúdo e a distribuição de trabalho entre os jornalistas da redação. Por isso, recomendamos que você faça o mesmo nos canais de comunicação da sua igreja. Selecione no mínimo três temas para abordar ao longo da semana, quinzena ou mês (falaremos sobre frequência mais adiante) e explore-os a partir de diferentes formatos.

Entre os temas que podem ser abordados estão:

  • Cosmovisão cristã
  • Vida cristã 
  • Devocional
  • Missões 

Vale também criar editorias específicas para a realidade da sua igreja, como “Dica do Pastor” e “Empreendedorismo no Reino de Deus”. Desta forma, você terá uma grade de conteúdo organizada, e a pergunta “O que postar nos canais da igreja?” será cada vez menos frequente. 

2. Estabeleça frequência

É fundamental estabelecer uma frequência de publicação nos canais de comunicação da igreja. Isso não significa que você precisa postar todos os dias, mas que deve ser constante na publicação de conteúdos. Com uma frequência bem definida, você educa a audiência da igreja a esperar por posts e artigos em determinado dia da semana e, no contexto das redes sociais, aparece de forma regular no feed do público. 

Para definir a frequência, é importante considerar, em primeiro lugar, a disponibilidade da equipe de comunicação. Concorda que não adianta dizer que postará sete dias por semana nas redes sociais quando, na verdade, mal existem pessoas para dar conta de três posts? Em seguida, é preciso identificar os dias nos quais sua audiência apresenta mais atividade online e entender o ritmo em que ela consome conteúdos digitais. Por que postar três artigos de blog em uma semana quando a média de leitura do público é de um só? 

Por fim, não se esqueça de levar em conta os objetivos da igreja em cada canal de mídia. Combine a análise desses três elementos para definir a frequência de publicação.

3. Crie um calendário editorial 

Agora que você já definiu as editorias de conteúdo e a frequência de publicação, chegou a hora de montar um calendário editorial. Este nada mais é do que um cronograma que inclui toda a programação dos canais midiáticos da sua igreja. Ele ajuda a acompanhar prazos, esclarecer a distribuição de tarefas e controlar a produção e publicação de conteúdo. Um calendário editorial precisa conter: 

  • O tema de cada conteúdo;
  • A linha editorial à qual o conteúdo pertence;
  • A data e o horário da publicação do conteúdo;
  • O formato do conteúdo (vídeo, infográfico, artigo etc);
  • O canal (blog, site, Instagram, YouTube etc) onde o conteúdo será publicado;
  • O responsável pela criação do conteúdo;
  • O status (a fazer, em andamento, feito, publicado). 

Você pode montar seu calendário editorial em uma planilha, mas recomendamos que utilize ferramentas próprias para gestão de projetos e equipes, como Trello e ClickUp. Com interface simples e intuitiva, elas permitem criar tarefas, atribuir responsáveis para cada uma delas, categorizá-las com etiquetas inteligentes e definir prazos. 

4. Tenha seus próprios processos de criação e pesquisa

Para produzir conteúdo para igreja, é fundamental ter os próprios processos de criação e pesquisa

Não adianta ficar esperando ideias fantásticas caírem do céu (perdão pelo trocadilho). Para produzir bons conteúdos com constância, é preciso bastante pesquisa e disciplina. Ao contrário do que muitos pensam, a criatividade não é um dom divino entregue para poucos, e sim uma habilidade que todo ser humano pode desenvolver e aperfeiçoar. Por isso, inclua em sua rotina os seguintes hábitos:

  • Ler sempre a Bíblia; 
  • Consumir conteúdos de pastores, líderes e teólogos que são referência em cristianismo;
  • Estudar sobre produção de conteúdo e marketing digital;
  • Manter-se atualizado sobre o que está acontecendo no mundo;
  • Anotar todas as ideias que tiver;
  • Organizar referências visuais e textuais em quadros de inspiração;
  • Praticar – seja a escrita, a fotografia ou a criação visual. 

Recorra às referências que você documentou 

Como explicamos acima, buscar e documentar referências é uma parte muito importante do processo de criação. Para isso, é possível contar com a ajuda de ferramentas online e gratuitas. Listamos algumas abaixo.

1. Google Trends

Google Trends ajuda a monitorar tendências para produzir conteúdo para igreja

O Google Trends é uma ferramenta gratuita que monitora pesquisas na internet. Além de permitir a pesquisa de palavras-chave, o site mostra os termos mais buscados pelos usuários e os assuntos que estão em alta no momento, o que ajuda a mapear tendências e encontrar novas ideias de conteúdo para o blog da sua igreja. 

2. Feedly

Feedly: agregador de notícias é útil para organizar referências documentais

O Feedly é um agregador de notícias que te ajuda a ficar bem informado, mesmo que você não tenha tempo para abrir dezenas de portais em busca de novidades. Basta cadastrar os sites que você acompanha para visualizar, em um feed, os novos conteúdos publicados em cada um deles. A ferramenta é uma grande aliada para quem precisa organizar informações relevantes para o processo de criação de conteúdo. 

3. Pinterest

Pinterest é um site que permite organizar referências visuais

Muito popular entre designers, fotógrafos e influenciadores, o Pinterest é a rede social ideal para quem está em busca de inspirações para criar conteúdo. O site, que funciona como um grande moodboard, permite pesquisar e salvar referências em pastas. 

Esquematize o conteúdo

Antes de pôr a mão na massa – ou nas teclas, para ser mais preciso – e iniciar a produção de conteúdo, é importante esquematizar o material a ser produzido, ou seja, resumi-lo a pontos essenciais. Para isso, recomendamos que você preste atenção a seis elementos e faça a si mesmo seis perguntas. 

1. O quê

Sobre o que você vai escrever? 

Pesquise bastante sobre o tema central do conteúdo e tenha clareza sobre o que você vai escrever. Por pesquisa não queremos dizer “dar uma olhada” no Google, nem virar um especialista no assunto em questão, mas aprofundar conhecimentos e conversar com pessoas que tenham autoridade sobre o assunto. Do contrário, você escreverá apenas a partir da sua visão de mundo, e os argumentos do conteúdo serão mais pobres. 

2. Quem

A quem o conteúdo se destina? 

Concorda que escrever para um recém-convertido e para um cristão que já caminha na fé há dez anos são coisas distintas? Eles estão em fases diferentes da jornada cristã e têm necessidades completamente diferentes. Por isso, na hora de produzir o conteúdo, tenha clareza sobre o público para o qual ele se destina. Essa informação determinará a linguagem e os argumentos a serem usados. 

3. Quando

Quando o conteúdo deve ser publicado? 

É fundamental ter clareza quanto ao prazo final, pois ele vai determinar todo o fluxo de produção. Na hora de estabelecer ou negociar prazos, leve em conta o tempo necessário para a aprovação das sugestões de pauta, para redação do conteúdo, para a criação visual (se houver) e também para possíveis retrabalhos. Lembre-se também de que conteúdos mais extensos e aprofundados precisam de mais tempo para serem produzidos. 

4. Onde

Onde o conteúdo será publicado?

A escolha do canal de publicação é tão importante quanto a escolha do tema. Aliás, o canal tem impacto direto na estrutura do conteúdo. Isso porque segundo a tese central de Marshall McLuhan, um dos teóricos mais famosos da Comunicação, “o meio é a mensagem”. Com essa frase, ele afirma que o meio, geralmente pensado como simples canal de passagem do conteúdo, mero veículo de transmissão da mensagem, é um elemento determinante da comunicação. O meio têm linguagens próprias, e o formato dos conteúdos deverá falar a mesma língua do canal.

5. Como

Como o conteúdo será estruturado, ou seja, qual será o seu formato? 

Tendo em vista que você leu os tópicos anteriores, deve imaginar que esta pergunta não é respondida sozinha, e sim com base na resposta para as questões “Onde?” e “Quem?”. Você está certo. Conteúdos publicados no Instagram para adolescentes não cristãos, por exemplo, não combinam com textos longos dissertativos. Vídeos curtos, por outro lado, seriam uma aposta mais segura.  

6. Por quê

Por que publicar este conteúdo? 

Saber o propósito da publicação do conteúdo é essencial para a escolha de canal (onde) e formato (como). Além disso, sem um objetivo claro e bem definido, a produção de conteúdo pode se tornar uma atividade mecânica, feita somente para cumprir agenda. Lembre-se de que os conteúdos devem servir aos objetivos de comunicação, que por sua vez devem colaborar para o cumprimento dos objetivos da igreja. 

Ponha as mãos nas teclas

Agora que você já esquematizou o conteúdo, chegou a hora de transformá-lo em um material real. Para isso, o primeiro passo é começar a escrever. 

1. Escreva

Escreva conteúdos para igreja

Não tenha medo de encarar o papel ou a tela do Word em branco. Lembre-se de que você não precisa escrever uma obra prima com potencial best seller, mas garantir que as ideias são expressas com coesão e coerência e que o conteúdo escrito esclarece as principais dúvidas do público. O texto também precisa estar alinhado à linguagem do canal escolhido e à voz das comunicações da igreja.

LEIA TAMBÉM: Como escrever bons textos para a igreja? Veja 10 dicas essenciais

2. Passe a bola para a equipe de design

Se o texto em questão precisar de apoio visual (ilustrações e infográficos, por exemplo), peça a ajuda da equipe de design e repasse todas as informações necessárias para a composição da imagem. O mesmo vale, obviamente, para imagens que contêm texto. Neste caso, a escrita deve ser mais objetiva. 

3. Revise

Agora que o conteúdo está pronto, chegou a hora de revisá-lo, mas não imediatamente. Espere algumas horas ou faça a revisão no dia seguinte. Isso porque, ao acabar de redigir um texto, você está mentalmente cansado, o que diminui suas chances de identificar erros. O mesmo vale para peças gráficas que foram finalizadas há pouco tempo. 

Na hora da revisão, leia o conteúdo em voz alta. Experimente também pedir a outra pessoa da equipe para ler o texto ou avaliar a imagem e dar uma opinião sincera. Isso vai te ajudar a identificar erros que até então estavam passando despercebidos, além de te dar uma noção sobre como pode ser a recepção do texto pelo público. Saiba aceitar os feedbacks negativos e usá-los para melhorar a qualidade do conteúdo.

4. Publique

Conteúdo devidamente revisado? Chegou a hora de publicá-lo nos canais de comunicação da igreja. Em se tratando de redes sociais, você pode seguir o caminho manual (fazer um post por vez) ou usar uma plataforma de agendamento, como o MLabs. Não se esqueça de mudar, no calendário editorial, o status do material para “publicado”.

Receba as melhores dicas de comunicação e gestão direto no seu e-mail