Muitas igrejas já se depararam com a necessidade de ter uma equipe de comunicação. A montagem de um time de voluntários dedicados a essa área permite que as informações sejam transmitidas com clareza para os públicos interno (membros) e externo (visitantes e pessoas não cristãs) da igreja, facilitando a divulgação dos trabalhos de outros ministérios e ajudando o evangelho a chegar ainda mais longe.

Se você está lendo este post, provavelmente é porque já entendeu como é importante ter uma equipe de comunicação na igreja, mas não sabe por onde começar. Pensando nisso, listamos sete dicas que vão te ajudar a recrutar pessoas, estabelecer objetivos e dar os primeiros passos na formação do seu time.

1. Escolha pessoas com um coração ensinável

Não há dúvidas de que ter pessoas com formação em Comunicação, Marketing, Fotografia e áreas afins em sua equipe é um diferencial. No entanto, mais importante do que possuir conhecimentos técnicos é ter um coração ensinável e disposto a servir. Por isso, ao recrutar integrantes para o ministério de comunicação, mostre às pessoas que o serviço é parte da adoração a Deus e pergunte se elas compartilham desse entendimento.

Aliás, é muito importante que a visão de todos os membros da equipe de comunicação esteja alinhada. Sem um alinhamento prévio a respeito de visão, missão e valores, o serviço pode se tornar uma atividade puramente mecânica, sem propósito ou entendimento estratégico sobre a missão da comunidade.

2. Crie frentes de trabalho

A Comunicação é um departamento muito abrangente, com múltiplas atividades envolvidas. Embora o número de tarefas varie conforme o tamanho da igreja, atribuições como criar peças de design, transmitir o culto ao vivo, fotografar e filmar o culto, redigir comunicados internos e gerenciar redes sociais costumam estar presentes no dia a dia de grande parte dos ministérios. Bastante coisa, não é? 

Para facilitar a organização das escalas e a gestão da equipe de comunicação, é importante que você estabeleça frentes de ação. O primeiro passo é identificar as tarefas mais recorrentes e as principais responsabilidades do ministério. Em seguida, com base nessas informações, basta dividir o trabalho por áreas (fotografia, vídeo, redes sociais, streaming e comunicação interna, por exemplo). 

Além de organizar o dia a dia do ministério, a criação de frentes de trabalho permite que os voluntários escolham o seu subdepartamento de atuação por área de aptidão ou interesse e desenvolvam melhor suas habilidades.

3. Atribua responsabilidades

Ser líder não significa centralizar atividades e fazer tudo sozinho. Muito pelo contrário: liderar é justamente mobilizar pessoas para que elas estejam sempre motivadas e possam atingir os objetivos fixados. Justamente por isso, é importante que você atribua responsabilidades aos membros da equipe. É possível delegar desde tarefas mais simples, como a montagem de escalas, até as mais complexas, como a supervisão de uma frente de trabalho.

Assim, além de fazer com que os membros do ministério de comunicação se sintam participantes ativos da equipe, você demonstra que eles são importantes, valorizados e dignos de confiança.

4. Invista em capacitação

É fundamental apresentar aos voluntários as atividades, rotinas e processos da área em que vão trabalhar. Lembre-se de que algumas pessoas podem não ter os conhecimentos técnicos necessários à função que elas vão desempenhar, então seja paciente e didático ao máximo.

Além do treinamento inicial, invista sempre em workshops e cursos de capacitação. Na uninChurch, por exemplo, há uma série de materiais gratuitos e de alta qualidade, elaborados em parceria com especialistas e instituições de ensino, para capacitar os integrantes do seu time.

5. Alinhe e estabeleça objetivos

Ao montar sua equipe de comunicação, converse com o pastor e as demais lideranças para entender quais são objetivos da igreja. A congregação quer atrair mais visitantes? Promover eventos evangelísticos entre a comunidade local? Ampliar o alcance das ações de assistência social? Seja quais forem os objetivos, o papel da comunicação é formular estratégias para ajudar a igreja a atingi-los.

Imagine que determinada congregação quer aumentar as arrecadações do ministério de ação social. Sabendo disso, a comunicação pode intensificar a divulgação dos trabalhos assistenciais da igreja, tanto interna quanto externamente. Para os membros, valeria criar campanhas de doação; para o público externo, vídeos nas redes sociais que mostram as pessoas (idosos, crianças, famílias etc) beneficiadas pelas doações assistenciais, por exemplo.

6. Dê feedback

Dar feedback aos integrantes da equipe de comunicação é muito importante para alinhar atividades e o caminho que o ministério de comunicação está seguindo. Por isso, não deixe de reconhecer o trabalho dos seus voluntários e também de apontar oportunidades de melhoria. Quando o feedback é feito da maneira correta, as pessoas se sentem mais motivadas e seguras, e a comunicação se torna muito mais assertiva.

7. Entenda que voluntários são voluntários

É sempre necessário lembrar que as pessoas que trabalham na equipe de comunicação são voluntárias, e não funcionárias. Sabendo disso, nunca assuma a persona de chefe ou aja de forma inflexível às necessidades dos membros da sua equipe. Entenda que eles podem ter imprevistos ou problemas de disponibilidade e seja sempre receptivo, atencioso e compreensivo.