Antes de responder essa pergunta de forma direta, vamos te conduzir por algumas informações que, com certeza, vão te ajudar a chegar em algumas conclusões importantes sobre a adoção ou não de um aplicativo para sua igreja.

Hoje, na era pós-digital onde a tecnologia tem tomado parte importante da vida das pessoas sem que ela seja percebida, marcas, projetos, pessoas e, também, as igrejas brigam pela atenção das pessoas.

O tempo de contato e exposição de uma informação é cada vez mais escasso e o aumento dos impulsos que recebemos é incalculável. 

Para as igrejas, esse cenário é desafiador, pois sabemos que o tempo médio de um membro em contato com sua comunidade, no espaço físico, está entre 3 e 6 horas por semanas.

E as outras 162, 160 horas, como a igreja se mantém em contato com sua membresia?

Chegamos ao primeiro argumento que te ajudará a entender a necessidade de adotar um aplicativo.

Esta é uma ferramenta que permite que as comunidades preencham o gap de contato com sua audiência na parte esmagadora do tempo de cada pessoa, de forma proprietária, independente e tomando proveito do smartphone, que hoje é quase que parte do nosso corpo.

Talvez nesse momento você esteja questionando o por quê de ter um aplicativo se as redes sociais podem te ajudar na comunicação. Você tem um ponto. As redes sociais também são caminho sem volta.

Nelas, temos um campo missionário importante a conquistar, mas é preciso ter em mente que este ambiente não é proprietário e pode mudar, cair ou ser descontinuado a qualquer momento.

Veja as principais listas de discussão sobre redes sociais: a cada dia, uma novidade que muda toda a lógica de trabalho, tornando o contato cada vez menos efetivo com sua audiência.

Estão aí, de forma bem estratégica, os dois principais motivos que respondem a pergunta do título deste post.

Você, sim, deve considerar a aquisição de um aplicativo para sua igreja.

O mercado brasileiro de apps vem se desenvolvendo de forma acelerada, principalmente no segmento de aplicativos de serviços, como InChurch

Segundo a 30ª Pesquisa Anual de Administração e Uso de Tecnologia da Informação nas Empresas, realizada pela Fundação Getúlio Vargas de São Paulo (FGV-SP), hoje, no Brasil há 230 milhões de celulares e o brasileiro está aderindo aos aplicativos de forma acelerada e a tendência é que estas ferramentas, quando oferecerem serviços relevantes ou de relacionamento, comecem a substituir funções nativas dos celulares. Veja estes números.

Cerca 25% dos brasileiros já deletaram o ícone de SMS de sua home do celular e 13% retiraram o de chamadas, segundo a pesquisa Panorama de junho de 2019. Todos motivados pelo uso de aplicativos que entregam valor, praticidade, menor custo e possibilidades mais amplas de interação.

Um aplicativo, no contexto das igrejas, pode te ajudar a conectar-se por meio de mensagens instantâneas, ampliar sua audiência de transmissão de cultos, gerir grupos, cadastros, gestão financeira, gestão de eventos e muito mais.

Pense nisso! O app é uma ferramenta de missão, de expansão da área de atuação de sua igreja e de ampliação das possibilidades de pastores e evangelizar pessoas.

fale com especialista
Deixe uma resposta